A crescente tensão entre Estados Unidos e Coreia do Norte ganhou novos capítulos na tarde de ontem (08), após o jornal “The Washington Post” revelar um levantamento secreto realizado pela inteligência dos EUA, que concluiu que a Coreia teria plena capacidade de levar uma bomba nuclear em seus mísseis. A divulgação da conclusão dos especialistas do governo levaram o presidente Donald Trump a ameaçar o governo de Pyongyang.

De acordo com a publicação norte-americana, os especialistas de inteligência dos EUA concluíram que a Coreia do Norte possui cerca de 60 bombas nucleares, e que o país teria condições de colocar uma destas ogivas em seus mísseis intercontinentais – que foram lançados com sucesso nos últimos meses.

A informação pegou muita gente de surpresa, já que a maior parte dos países acreditava que o regime de Pyongyang levaria ainda alguns anos para ser capaz de produzir e alocar uma bomba nuclear em seus mísseis.

 

“Fogo e Fúria como o mundo nunca viu”

Após a divulgação da matéria pelo jornal, o presidente Donald Trump comentou a situação de crescente ameaça da Coreia do Norte em relação aos Estados Unidos e seus aliados. Em Nova Jersey, Trump afirmou aos jornalistas que a Coreia do Norte poderá enfrentar “fogo e fúria como o mundo nunca viu” caso continue ameaçando os EUA.

“É melhor a Coreia do Norte não fazer mais ameaças aos Estados Unidos. Eles enfrentarão fogo e fúria como o mundo nunca viu antes”, disse ele.

 

Mercado financeiro reage à tensão

O mercado financeiro sentiu o peso das palavras de Trump e das novas informações divulgadas pela imprensa americana sobre o poder nuclear da Coreia do Norte. Após a fala do presidente dos Estados Unidos, o índice Dow Jones – que havia avançado ao longo do dia – caiu ao final da sessão, seguido pelo S&P 500 e pelo Nasdaq.

 

Novas ameaças

No final da noite desta terça-feira, a Coreia do Norte voltou a ameaçar os Estados Unidos, em resposta às ameaças de Trump. Em nota divulgada pela agência estatal KCNA, Pyongyang ameaçou realizar um ataque com míssil contra alvos próximos às bases militares dos EUA na ilha de Guam, no Pacífico.

Um porta-voz do Exército Popular na Coreia disse ainda que o plano de ataque poderá ser implementado a qualquer momento. Em nota, outro porta-voz militar afirmou também que o país poderia realizar uma operação preventiva de ataque caso os Estados Unidos mostrassem qualquer sinal de provocação.

Por enquanto, apenas ameaças foram contabilizadas de ambos os lados. O mercado e o mundo, no entanto, ficam agora atentos aos novos capítulos envolvendo os países e a possíveis decisões que podem ser tomadas a qualquer momento – que poderia elevar uma situação de nervosismo para uma guerra real.

Desta vez, contudo, todos sabem que o ditador norte-coreano possui, efetivamente, um arsenal nuclear, que pode causar grandes estragos no mundo. A tensão continua, só nos resta esperar.