A polícia da Alemanha  informou, nesta sexta-feira (21), que o suspeito de realizar um atentado contra o ônibus da delegação do Borussia Dortmund, há quase duas semanas, agiu por questões econômicas. Segundo os responsáveis pelas investigações, o suspeito teria adquirido 15 mil opções de venda (direitos de venda) de ações do Dortmund no mesmo dia dos atentados.

 

 

As investigações apontaram que Sergej W, um cidadão alemão-russo, adquiriu as opções no dia 11 de abril, utilizando a internet do hotel onde estava hospedado – mesmo hotel onde se encontrava a equipe do Borussia Dortmund, visando lucrar com uma possível queda das ações do time, que são negociadas na Bolsa de Valores de Frankfurt, após os atentados. O prazo de vencimento das ações – que custaram cerca de 78 mil euros, era 17 de junho de 2017.

De acordo com a polícia, os atentados estavam sendo planejados pelo menos desde março, quando o suspeito reservou um quarto no hotel entre os dias 9 e 13 de abril e entre 16 e 20 de abril – datas das partidas da equipe de futebol na Liga dos Campeões da Europa, em um quarto com vista para o local dos atentados. A detonação dos explosivos a distância feriu um jogador da equipe, e causou sérios danos ao ônibus do time.

O suspeito pode responder por tentativa de homicídio, por provocar detonação com material explosivo e por causar lesões físicas graves a terceiros. As autoridades não informaram se ele poderá também ser penalizado por prática ou tentativa de crime contra o mercado de capitais.