De acordo Monitor da Taxa de Juros do Federal Reserve da Investing.com, mercado têm 100% de certeza quanto ao corte nos juros dos EUA no final de julho

 

Após um ciclo de avanços nas taxas de juros dos Estados Unidos, que se manteve firme até 2018, o mercado financeiro espera um corte nos juros do país pelo Federal Reserve (Fed) no final deste mês de julho. É o que aponta o Monitor da Taxa de Juros do Federal Reserve da Investing.com.

De acordo com o Monitor da Investing.com, o mercado tem 100% de certeza quando ao corte de, no mínimo, 0,25 ponto percentual na taxa de juros norte-americana – atualmente no patamar de 2,25% a 2,5% ao ano.

A expectativa é que, na próxima reunião do Banco Central dos EUA, entre 30 e 31 de julho, as taxas sejam reduzidas para a faixa de 2% a 2,25% ao ano – no que seria o primeiro corte nos juros desde a crise dos subprimes, em 2008.

 

Com a palavra, Jerome Powell

As falas do presidente do Fed, Jerome Powell, em sua visita ao Senado norte-americano na semana passada, corroboraram para a expectativa de um corte nas taxas de juros do país. No Capitólio, Powell afirmou que o Fed agirá “conforme apropriado” para defender a economia dos Estados Unidos.

O recado de Jerome Powell aos congressistas é feito em um momento no qual as empresas do país desaceleram seus investimentos, em meio às disputas comerciais com a China e ao enfraquecimento do crescimento econômico global.  Segundo ele, estes dois elementos, somados à baixa inflação são os três os principais riscos que ainda ameaçam a expansão econômica do país – que vem alcançando recordes nos últimos dois anos.

Apesar dos riscos, Powell disse enxergar a economia norte-americana “em uma boa posição”, com os gastos dos consumidores ainda bastante robustos. Contudo, segundo ele, uma “política monetária um pouco mais expansionista” poderia ser apropriada diante da redução dos investimentos empresariais nos EUA.

 

Reunião no final do mês

Os depoimentos de Jerome Powell em Washington DC foram recebidos pelo mercado financeiro como um sinal de que o Fed pretende cortar os juros norte-americanos.

Se o corte for confirmado em 31 de julho, este será o primeiro recuo das taxas no país desde a crise financeira de 2008.