Com lançamento estimado para os primeiros meses de 2020, criptomoeda do Facebook deverá ser testada nos próximos meses pela rede social

 

A rede social Facebook está se preparando para iniciar, já nos próximos meses, os testes com a sua futura criptomoeda, a GlobalCoin. Com o objetivo de se tornar um os principais pilares do sistema de pagamento digitais dentro da rede social, a GlobalCoin tem lançamento previsto para o primeiro bimestre de 2020 pela companhia de Mark Zuckerberg.

De acordo com uma matéria publicada pela BBC, Zuckerberg se encontrou, no mês de abril, com um dirigente do Banco Central do Reino Unido justamente para tratar sobre as oportunidades e riscos envolvendo o lançamento de uma nova criptomoeda – como a GlobalCoin. O CEO do Facebook também pediu orientações ao Tesouro dos EUA quanto à questões regulatórias e operacionais das moedas digitais.

Segundo a BBC, o objetivo do Facebook, neste momento, é encontrar alternativas fáceis e econômicas para usuários sem conta bancária realizarem transações de envio e recebimento de criptomoeda.

 

 

A criptomoeda do Facebook

Por enquanto, o pouco que se sabe sobre a criptomoeda do Facebook está mais relacionado aos objetivos da moeda digital e o cronograma de teste e lançamento da GlobalCoin. Ainda não há informações precisas, por exemplo, quanto ao funcionamento da criptomoeda da rede social, na prática.

A expectativa, no entanto, é que o Facebook utilize sua moeda digital própria para competir com bancos e reduzir os custos dos consumidores no futuro. No curto prazo, especula-se que o Facebook integrará sua moeda e a forma de pagamento via criptomoedas com o Instagram e o WhatsApp.

De acordo com a BBC, Mark Zuckerberg também estaria negociando com empresas e comerciantes online, a fim de convencê-los a aceitar a GlobalCoin como forma de pagamento. Em toca, o Facebook ofereceria taxas de transações mais baixas na comparação com os modelos de pagamento utilizados atualmente para compras online.

 

Segurança e privacidade

Um dos maiores desafios do Facebook para o lançamento de sua criptomoeda, no entanto, pode não estar diretamente ligado à implementação e disponibilização da moeda virtual, mas sim às dúvidas de usuários, dos órgãos regulatórios e do mercado em geral quanto à capacidade da rede social em manter a segurança e a privacidade nas operações.

Vale ressaltar que a companhia de Mark Zuckerberg tem sido fortemente criticada nos últimos anos, após protagonizar diversos casos de administração, uso e preservação indevida de informações pessoais de seus mais de 2 bilhões de usuários.

No início do mês de maio, de acordo com a BBC, o Senado dos EUA escreveu uma carta aberta ao CEO da rede social, questionando Zuckerberg sobre o funcionamento da GlobalCoin e sobre a tecnologia que garantirá a devida proteção ao consumidor e às transações realizadas com a criptomoeda.

Enquanto estas questões seguem abertas e ainda sem respostas, o cronograma do Facebook parece seguir intacto e a expectativa é que acompanharemos o lançamento da GlobalCoin ainda no início de 2020. Resta saber se a criptomoeda agradará ou não os usuários da rede social e se, de fato, vingará em um futuro breve, como prevê Mark Zuckerberg.