Expectativa é que app seja avaliado em até US$ 100 bilhões no mercado norte-americano; documento enviado à SEC traz Brasil como segundo maior mercado do mundo para a Uber

 

O aplicativo de transportes Uber entrou, na última quinta-feira (11), com um pedido de abertura de capital (IPO) na bolsa de valores de Nova York, nos Estados Unidos (NYSE). A expectativa é que, com sua oferta pública inicial de ações, a Uber seja avaliada em até US$ 100 bilhões.

As ações da Uber deverão ser negociadas na NYSE a partir de maio, sob o ticker UBER, de acordo com informações da agência de notícias Bloomberg. A expectativa do app é captar US$ 10 bilhões com seu IPO.

Em relatório enviado à SEC – comissão de valores mobiliários norte-americana – para solicitação de abertura de capital, a Uber revelou detalhes de suas operações ao redor do mundo – que cravaram os Estados Unidos e o Brasil como os maiores mercados da empresa de transportes de passageiros.

 

 

Brasil: o segundo maior mercado da Uber no mundo
De acordo com informações enviadas pela empresa à SEC, o faturamento da Uber no Brasil em 2018 chegou a US$ 959 milhões – fazendo do mercado brasileiro o segundo maior mercado da Uber em todo o planeta. Além disso, os dados operacionais inéditos divulgados pela empresa mostram que o crescimento do faturamento do app no Brasil entre 2016 e 2018 foi superior a 400%.

Na comparação com 2017, os ganhos também avançaram: enquanto o faturamento de 2018 da Uber no Brasil aproximou-se da marca de U$ 1 bilhão, os ganhos da empresa um ano antes permaneciam mais modestos, rendendo à Uber US$ 831 milhões em faturamento.

No ano passado, segundo a Uber, quase um quarto do seu faturamento com transportes veio de cinco grandes regiões metropolitanas globais: Los Angeles, Nova York e São Francisco, nos Estados Unidos, Londres, na Inglaterra, e São Paulo, no Brasil. Ao menos 15% da receita do app no ano passado vieram de corridas que iniciaram ou se encerraram em um aeroporto.

 

Lucratividade em risco
Apesar de ter faturado US$ 11,27 bilhões em 2018 no mercado mundial, a Uber apresentou um prejuízo ajustado de US$ 1,85 bilhão no período. Por conta disso, o aplicativo de transportes já alertou aos investidores que há riscos quanto à manutenção de uma lucratividade ao longo do tempo – mesmo que ela seja alcançada no futuro.

Os números do app, no entanto, ainda animam os investidores. Segundo a Uber, cada usuário ativo do aplicativo fez uma média de 5,5 viagens durante o último trimestre do ano passado – somando 1,5 bilhão de corridas em apenas 90 dias. Destes usuários, ao menos 15 milhões de pessoas pediram comida por meio do Uber Eats em 500 cidades do mundo.

 

IPO da Uber
As ações da Uber devem estrear na bolsa de Nova York no mês de maio, em data ainda desconhecida, e a expectativa é que mais de US$ 10 bilhões em ações sejam vendidos. A expectativa é que o maior app de transporte do mundo garanta uma avaliação entre US$ 90 bilhões em US$ 100 bilhões em valor de mercado após seu IPO.

Atualmente, entre os maiores acionistas da Uber estão o cofundador da companhia, Travis Kalanick, o investidor Matt Cohler e a dona do Google, a Alphabet.