Banco Central dos EUA manteve taxa de juros na faixa de 2,25% e 2,50% ao ano e sinalizou a manutenção deste patamar para os juros norte-americanos ao longo do ano de 2019

 

O Federal Reserve (Fed) manteve, na última quarta-feira (20), as taxas de juros dos Estados Unidos inalteradas e sinalizou o fim do ciclo de aperto monetário, iniciado em 2016. Com a decisão do Banco Central norte-americano na reunião do FOMC desta semana, a faixa de juros no país segue entre 2,25% e 2,5% ao ano.

Em comunicado, o Fed informou sua decisão ao mercado quanto à manutenção do patamar atual das taxas de juros – o que já era amplamente aguardado por especialistas e investidores – e sinalizou que não elevará os juros até o final de 2019. Até setembro de 2018, a projeção do Fed apontava para três aumentos dos juros ao longo de 2019.

Em dezembro do ano passado, quando as taxas de juros norte-americanas foram elevadas pela última vez, a expectativa era para um aumento único dos juros em 2019. Agora, o Banco Central dos EUA planeja realizar apenas um aumento nas taxas até 2021.

 

Economia e mercado de trabalho

Durante a reunião encerrada na última quarta-feira (20), a autoridade monetária norte-americana atualizou também suas projeções para a economia norte-americana nos próximos anos.

Para o Fed, o mercado de trabalho continua forte. Os integrantes o FOMC, no entanto, apontaram para o desempenho da atividade econômica nos primeiros meses de 2019 – que desacelerou na comparação com o quarto trimestre de 2018.

De acordo com o Banco Central norte-americano, a expectativa agora é de uma expansão de 2,1% do Produto Interno Bruto (PIB) dos EUA em 2019, ante uma projeção anterior de 2,3%. Para 2020, espera-se um avanço de 1,9% da economia; antes, a estimativa era de um crescimento de 2% no ano.

As projeções do Federal Reserve para a inflação também recuaram. Segundo os novos dados divulgados pelo Fed, espera-se uma inflação de 1,8% para o ano de 2019 – ante previsão anterior de 1,9% para a inflação no período.