Queda nas ações da Boeing seguem recuando mais de 5% nesta terça-feira (12), após despencarem 12% na véspera, em Wall Street

 

As ações da norte-americana Boeing voltaram a cair forte na abertura do pregão desta terça-feira (12) em Nova York, depois de tombarem mais de 12% durante a sessão de ontem (12) em Wall Street. Nos primeiros minutos do segundo pregão da semana, os papéis da Boeing eram negociados em queda de mais de 5,7%.

O novo dia de queda das ações da Boeing ocorre um dia após a fabricante de aeronaves encerrar o pregão em baixa de 5,33%, depois de despencarem forte na abertura – com investidores preocupados com o futuro da companhia após um modelo de aeronave Boeing se envolver em uma nova tragédia aérea em menos de cinco meses. Trata-se do avião modelo 737 MAX8, que caiu na Etiópia no último final de semana e vitimou quase 160 pessoas.

No final de outubro do ano passado, o mesmo modelo de avião comercial da Boeing caiu na Indonésia, matando todas as 189 pessoas a bordo. O modelo é a versão mais recente do 737 da norte-americana – o avião comercial mais vendido o mundo.

 

Suspensões em curso

O temor dos investidores em relação ao futuro da Boeing se elevou ainda mais depois que diversos países do mundo – como a China, Reino Unido, Alemanha e França – confirmarem a suspensão da utilização deste tipo de aeronave Boeing. Na última segunda-feira (11), a brasileira Gol Linhas Aéreas também confirmou a suspensão de voos que eram realizados no país a partir dos modelos 737 MAX8 da Boeing.

De acordo com a agência de notícias AFP, além das dúvidas que surgem quanto à segurança do novo 737 da Boeing, há ainda questionamentos por parte da comunidade aeronáutica mundial quanto à falta de informação das companhias e pilotos sobre o novo sistema de aviso de entrada em perda de sustentação do modelo da Boeing.

Após o novo acidente na Etiópia, a Boeing informou que enviará uma equipe técnica ao local para auxiliar nas investigações. Segundo a companhia norte-americana, atualmente 350 aeronaves 737 MAX8 são operadas por 50 companhias aéreas ao redor do planeta.

 

Ações em queda

Depois de cederem mais de 12% na última segunda-feira (11) e encerrarem o primeiro pregão da semana em queda de 5,33% em Wall Street, as ações da Boeing cediam mais 5,75% na bolsa de Nova York no início desta terça-feira (12), sendo negociadas a US$ 376,99.

No dia 1º de março, os papéis da companhia norte-americana chegaram a valer US$ 440,62.