Apesar da notícia do fechamento de lojas da Amazon nos EUA, ações da varejista norte-americana avançavam nesta segunda-feira (11) em Wall Street

 

A gigante do varejo Amazon está fechando todas as suas 87 lojas “pop-up” distribuídas pelos Estados Unidos, de acordo com informações divulgadas pelo Wall Street Journal no final da semana passada. Segundo a publicação, todas as lojas da varejista neste formato serão fechadas até o final de abril.

O modelo vinha sendo testado nos EUA há cerca de um ano pela Amazon, e tinha como objetivo principal analisar o mercado para uma eventual abertura e pontos físicos pela gigante do varejo no país. As 87 lojas que serão fechadas em breve eram conhecidas por seu formato enxuto, uma espécie de quiosques que ofereciam itens limitados, como tablets, leitor de livros Kindle, caixas de sons, entre outros.

As lojas em formato “pop-up” da Amazon estão estabelecidas em shoppings e lojas de departamento norte-americanas, além da rede de supermercados Whole Foods, adquirida pela companhia de Jeff Bezos há alguns anos. As lojas “pop-up” da Amazon na Europa parecem não ter sido afetadas pela decisão, e devem seguir funcionando – ao menos por enquanto.

 

 

Expansão a caminho

Apesar do fechamento das lojas “pop-up” nos EUA, a Amazon está se preparando para investir forte na abertura de novas livrarias físicas e na expansão das lojas de conveniência “Amazon GO”.

A empresa de Jeff Bezos também deve investir forte nos próximos anos em suas “lojas de 4 estrelas” – lojas que comercializam itens classificados com 4 estrelas ou superior por clientes Amazon. Detalhes mais específicos sobre os planos de expansão, no entanto, ainda não foram divulgados pela varejista.

 

Ações em alta

Depois de recuarem mais forte durante as sessões da semana passada, as ações da Amazon operavam em alta no mercado dos Estados Unidos na tarde desta segunda-feira (11). No meio do primeiro pregão da semana, as ações da Amazon subiam 2,37% em Wall Street, cotadas a US$ 1.659,63.