Mais de 250 mil novas vagas de trabalho foram criadas no mês de outubro nos EUA, superando as estimativas dos analistas; taxa de desemprego se manteve em 3,7%

 

Os Estados Unidos criaram 250 mil novos postos de trabalho no mês de outubro, de acordo com informações divulgadas na última sexta-feira (2) pelo Departamento de Trabalho do país. O salto no número de vagas de trabalho superou fortemente as estimativas de analistas, que projetavam 208 mil novos empregos no mercado norte-americano no período.

A disparada na geração de empregos no setor não agrícola no país em outubro pode ser justificada pela abertura de novas oportunidades de emprego nos setores de lazer e hospitaleiro – que seguem em recuperação após a temporada de furações nos EUA. Segundo dados do Departamento do Trabalho, os setores de construção e manufatureiro também avançaram em outubro.

 

 

Com o aumento de postos de trabalho no mês passado nos EUA, o índice de desemprego no país manteve-se em 3,7% – o menor patamar desde 1969. Os níveis se aproximam cada vez mais do cenário de pleno emprego, de acordo com o governo norte-americano.

 

Ganho salarial mais robusto

Os salários dos norte-americanos também avançaram em outubro, segundo o governo dos EUA. Em outubro, os ganhos salariais cresceram 0,2%, para uma média de US$ 27,30 por hora.

O crescimento nos salários dos trabalhadores norte-americanos no terceiro trimestre do ano foi o mais forte desde meados de 2008. Nos últimos 12 meses, os salários nos EUA avançaram 3,1% e a expectativa é de que os ganhos sigam em alta.

 

Emprego e o Fed

Os resultados sólidos do mês de outubro em relação ao mercado de trabalho nos Estados Unidos devem fazer o Federal Reserve (Fed) sinalizar, nesta semana, um novo aumento nas taxas de juros dos EUA no mês de dezembro. O último aumento dos juros no mercado norte-americano ocorreu em setembro, no terceiro aumento do ano promovido pelo Banco Central do país.