Otimistas com possível vitória de Bolsonaro no segundo turno, investidores fizeram os ADRs brasileiros nos EUA saltarem forte na primeira sessão da semana; ETFs na Europa também avançaram

 

Os ADRs brasileiros – recibos de ações de empresas estrangeiras negociadas na Bolsa de Nova York – saltaram na sessão desta segunda-feira (8), após o primeiro turno das eleições presidenciais brasileiras mostrar forte desempenho do candidato do PSL, Jair Bolsonaro. Na Europa, os fundos de índice (ETFs) também subiram forte como conseqüência dos resultados eleitorais do último dia 7 de outubro.

 

 

ADRs disparam nos EUA

Em Nova York, os ADRs da Petrobras saltaram 15% na primeira sessão desta semana. Os ADRs de bancos brasileiros também subiram forte nos Estados Unidos: o Itaú Unibanco chegou a avançar 11% durante o dia em Wall Street, enquanto o ADR do Bradesco valorizou 8,75%.

O grande destaque do dia entre os ADRs brasileiros em NY, no entanto, foram os ADRs da Cemig, que dispararam 21,10% nesta segunda-feira. Os recibos de ações da Gol Linhas Aéreas nos EUA também subiram forte, encerrando o dia com alta de 19,66% em Wall Street.

O EWZ – maior ETF brasileiro em Nova York – encerrou a segunda-feira em alta de 6,74%, e seguiu avançando após o fechamento do mercado norte-americano.

 

ETFs avançam na Europa

Os fundos de índice brasileiros negociados na Europa também foram beneficiados pelo otimismo dos investidores com as eleições brasileiras e uma possível vitória de Jair Bolsonaro no segundo turno. Em Londres, dos ETFs brasileiros do iShares MSCI subiram 6,8% e 6,2%, enquanto o ETF Xtrackers MSCI avançou 6,3%.

Os ADRs da Petrobras listados em Frankfurt, na Alemanha, apresentaram alta de 6,4% na sessão desta segunda-feira.

 

Aumento da governabilidade

A euforia dos investidores pode ser justificada pelas maiores chances de realização de reformas no país em um governo de Bolsonaro na comparação com um governo do PT, mas também pelo aumento da governabilidade em caso de vitória do PSL no segundo turno.

 Isso porque, no primeiro turno das eleições 2018, o partido de Jair Bolsonaro conquistou uma forte representação no Congresso, e deve ainda ganhar apoio de governadores de direita que se elegeram em importantes estados brasileiros.

De acordo com a consultoria política norte-americana Eurasia, a chance de vitória do candidato do PSL no segundo turno é de 75%.