Saiba o que é o Payroll e entenda por que este indicador é tão importante para o mercado dos EUA e para o mercado mundial

 

Se você investe ou realiza operações no mercado financeiro certamente já deve ter ouvido falar no “Nonfarm Payroll” – ou, simplesmente, “Payroll”. Apesar de este indicador ser bastante conhecido por investidores e traders, muita gente ainda não sabe, de fato, o que ele representa para a economia norte-americana e para os mercados mundiais.

Investe ou opera no mercado e ainda não conhece o Payroll? Então descubra no artigo de hoje o que é o Payroll e entenda por que este relatório – divulgado mensalmente – é tão importante para o mercado dos Estados Unidos e para outros mercados ao redor do planeta. Boa leitura!

 

O que é Payroll?

O termo Nonfarm Payroll, em tradução livre, significa “folha de pagamento não-agrícola”. Na prática, é um dado econômico divulgado – em geral – na primeira sexta-feira de cada mês pelo Bureau of Labor Statistics, órgão do governo norte-americano, trazendo informações sobre o número de empregados e desempregados nos Estados Unidos em todos os setores da economia, com exceção do setor primário (agrícola).

Juntos, estes setores não-agrícolas reúnem uma força de trabalho responsável por cerca de 80% de todo o Produto Interno Bruto (PIB) dos Estados Unidos. Por conta disso, muitos especialistas consideram o Payroll o principal indicador da saúde econômica dos EUA.

 

 

Por que o Payroll é tão importante?

Como já dissemos, o Payroll é um dos principais indicadores da economia norte-americana, já que é ele que traz informações sobre a criação de empregos e dados diversos relacionados ao forte mercado de trabalho não-agrícola dos EUA.

Estas informações afetam diretamente o poder de compra do consumidor – e, consequentemente, a economia de maneira geral. Além disso, os resultados divulgados no Payroll influenciam diretamente na variação da taxa de juros dos Estados Unidos.

Por esta razão, os resultados do relatório acabam impactando não apenas as negociações no mercado norte-americano, mas também em outros mercados mundiais – como o Brasil. A cotação do dólar também costuma sofrer influências em dia de Payroll.

 

Payroll e os mercados mundiais

O Relatório de Emprego dos Estados Unidos ganhou maior relevância depois da crise dos subprimes, em 2008. Nos últimos meses, em especial, o Payroll tem trazido resultados históricos sobre o desemprego nos EUA – que atinge as mínimas mais baixas da história.

Quando os resultados divulgados são positivos para a economia norte-americana, a bolsa dos Estados Unidos costuma subir – e o dólar tende a se fortalecer; quando os dados chegam abaixo do esperado, o mercado costuma reagir negativamente ao Payroll.

Atualmente, além dos números absolutos de emprego e taxa de desemprego, os investidores e operadores se mantêm atentos também à remuneração média por hora dos trabalhadores norte-americanos, já que estes dados têm forte peso na inflação do país e, consequentemente, nas decisões de juros do Federal Reserve (Fed).

As reações dos mercados mundiais acompanham a reação do mercado dos EUA – a maior economia do mundo – aos números divulgados no Payroll. Em geral, é altamente recomendado que traders não operem pouco antes, durante e pouco depois da divulgação do relatório de emprego norte-americano, justamente para evitar ser surpreendido pela volatilidade e instabilidade dos mercados neste período.

Por isso, se você opera no mercado – seja dos EUA ou no mercado brasileiro – ou tem planos de iniciar suas operações em breve, vale a pena manter-se atento ao calendário econômico e às datas de divulgação do Payroll e, desta forma, evitar perdas desnecessárias em suas operações por conta de eventuais movimentos bruscos no mercado graças a este indicador.

Você pode acompanhar a divulgação deste e de outros indicadores econômicos dos Estados Unidos por meio do calendário econômico do site Investing.com. Com cautela e atenção às notícias que podem impactar o mercado você consegue realizar operações com maior tranquilidade e assertividade no mercado brasileiro ou no mercado norte-americano.