Brent subiu 3% na sessão de quarta-feira, enquanto parlamentares queimavam bandeira norte-americana no Irã após EUA anunciar saída de acordo nuclear

 

Os preços do petróleo subiram 3% durante a sessão da última quarta-feira (9), um dia depois de o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciar a retirada do país de um acordo nuclear com o Irã, costurado na gestão de Barack Obama. A decisão foi tomada após o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, apresentar uma série de evidências de que o Irã estaria descumprindo o acordo.

De acordo com Trump, os EUA deverão, a partir de agora, restabelecer sanções econômicas contra o regime iraniano, que haviam sido deixadas de lado após fomentação do acordo, em 2015. Apesar disso, o presidente norte-americano ressaltou que está pronto para negociar e estruturar um novo acordo com o governo do Irã.

 

Bandeiras queimadas e Europa no radar

O Irã, no entanto, não parece estar interessado em fomentar um novo acordo com os Estados Unidos. Na ultima quarta-feira, parlamentares iranianos queimaram uma bandeira norte-americana  enquanto o líder Ali Khamenei pronunciava ameaças à Trump e aos EUA. Já o presidente do país, Hassan Rouhani, afirmou que o Irã pode voltar a enriquecer urânio "sem limites".

A decisão dos Estados Unidos de sair do falho acordo nuclear com o Irã não foi seguida pelos seus – até então – aliados europeus. Alemanha, Reino Unido e França decidiram não abandonar o acordo nuclear. Em comunicado na manhã de quarta-feira, a chanceler da Alemanha, Angela Merkel, afirmou que a Europa não pode mais contar com os EUA para sua proteção.

"Já não podemos esperar que os EUA simplesmente nos protejam, a Europa tem de agarrar seu destino com as próprias mãos", disse – sugerindo, nas entrelinhas, que o governo norte-americano poderia não cumprir o artigo 5º da Organização do Tratado do Atlântico Norte, que prevê que um ataque armado contra um país-membro da aliança seja considerado “um ataque a todos” os países que fazem parte do acordo.

 

Petróleo em alta

Enquanto isso, os preços do petróleo avançaram durante a última quarta-feira. O barril de Brent chegou a ser negociado próximo ao patamar de US$ 77; já o barril de petróleo norte-americano era negociado a US$ 71 – próximo ao maior valor dos últimos 4 anos.

A evolução nos preços do petróleo na sessão de quarta-feira foi impactada pela saída dos EUA do acordo nuclear com o Irã. O preço da commodity, no entanto, já vem evoluindo desde julho de 2017: em janeiro deste ano, a cotação média do barril de Brent ficou próxima de US$ 69,00, recuando alguns dólares nos meses seguintes.

No início da sessão desta quinta-feira (10), o Brent futuro era negociado a US$ 76,59 – uma queda de 0,79% em relação ao fechamento da sessão anterior. Clique aqui e confira a cotação do Brent em tempo real.