Economia brasileira deve crescer abaixo dos 3% previstos pelo governo e pelo mercado para o ano de 2018

 

Os riscos eleitorais e a agitação do mercado internacional estão levando instituições, analistas e economistas brasileiros a revisar para baixo o Produto Interno Bruto (PIB) do país em 2018. A estimativa de crescimento de 3% neste ano vai ficando para trás a cada novo dado econômico divulgado pelo governo, reafirmando o avanço mais lento que o previsto para a economia brasileira.

O cenário externo mais volátil e a expectativa de uma disputa eleitoral cada vez mais imprevisível – colocando em cheque a continuidade das reformas no país – contribuíram para o aumento das incertezas quanto ao ritmo do crescimento do PIB brasileiro cravado no final do ano passado.

 

Indicadores econômicos divulgados nos meses de janeiro e fevereiro corroboram para esta queda no otimismo quanto ao crescimento da economia brasileira nos próximos meses. O setor industrial do país, por exemplo, retraiu 2,2% no mês de janeiro e avançou modestos 0,2% em fevereiro.

Já o setor de serviços, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), cresceu apenas 0,1% em fevereiro. Na comparação com o mesmo período do ano passado, o resultado é ainda pior para o setor: uma queda de 2,2%.

 

Crescimento modesto

Por conta dos dados decepcionantes, economistas e analistas do mercado têm decidido revisar para baixo a projeção do PIB brasileiro para este ano. Em nota divulgada recentemente, o Bradesco informou ter revisto a projeção do PIB do primeiro trimestre de 2018 para o Brasil, que caiu de 0,5% para 0,3%.

O Itaú Unibanco, o banco Santander e o Banco Votorantim também estudam baixar suas projeções para o PIB brasileiro caso o avanço do PIB trimestral venha abaixo do previsto pelas instituições.

 

Governo mantém projeção

Apesar dos resultados abaixo do esperado para os principais setores da economia brasileira neste início de ano, o ministro da Fazenda, Eduardo Guardia, afirmou que o governo não pretende revisar a projeção de crescimento do PIB do país em 2018. A expectativa é de um avanço de 3% da economia brasileira em 2018.